Um caminho: do não de Sygne até a posição do analista na transferência