Mulheres em Lacan

A bibliografia sobre mulheres na obra de Lacan vem marcada desde o início pelo valor decisivo que sua paciente Aimée permitiu ao autor experimentar. Jáque foi a partir desse encontro, que segundo ele, se tornou possível sua passagem para a Psicanálise. Por extensão, o encontro com as mulheres a partir da psicose permitiu a Lacan articular diferentes temas: relação mãe e filha; relação mãe e filho; ciúme feminino; inveja feminina; relação entre irmãs; ódio…, antecipando questões por vir, tanto quanto outras que não seriam mais encontradas em sua obra.

Durante muitos anos Lacan se dedicou a retomar e problematizar os limites do Édipo freudiano. Nesse sentido háum conjunto de textos que, ao mesmo tempo em que retomam questões deixadas por Freud – a feminilidade no tratamento de Dora, o sonho da injeção de Irma, o acting out e a passagem ao ato no caso da Jovem homossexual, avançam também na direção de articular “além da angústia de castração”.

O Seminário XX se firmou como o texto de referencia no tocante a posição feminina, tanto quanto uma serie de questões relativas a lógica dos sexos. Contudo no Seminário que o antecede – “Ou pior” , assim como no texto escrito que lhe écontemporâneo – “O Aturdito” , existe um conjunto de elaborações que pode ajudar esclarecer questões que serão apresentadas no Seminário de 1972- 1973.

A edição brasileira da Jorge Zahar Editor adotou a tradução do título do Seminário XX na referencia de uma das articulações que se encontra no Seminário, conferindo a ela um caráter conclusivo.

A tradução do mesmo Seminário, em edição não comercial, realizado pela Escola da Letra Freudiana, conservou o título em francês, uma vez que – “Encore”- encontra mais de um sentido na fala de Lacan, tanto quanto na língua francesa não especializada.

Quando as referencias aparecem listadas pelo número dos capítulos, leia-se que se trata das publicações realizadas pela Jorge Zahar Editor. Quando comparecem com as datas das lições significa que os Seminários estão em outras línguas, espanhol e francês.

 

1- Da psicose paranóica em suas relações com a personalidade. Capitulo II. Ed. Forense Universitária

2- Motivos do crime paranóico: o crime das irmãs Papim in Primeiros escritos sobre paranóia. Anexo a Tese de Doutorado. Ed Forense Universitária.

3- Capítulos XIII e XIV. Seminário 2.

4- Capítulos XII e XIII. Seminário 3

5- Semináro 4

6- Do capítulo VIII ao capítulo XXVI so Seminário 5

7- Do capítulo XIX ao capítulo XXIV do Seminário 7

8- Do capítulo XII ao capítulo XXII do Seminário 8

9- Do capítulo VII ao capítulo XV do Seminário 10

10- Lições dos sias : 15/02/67; 22/02/67; 01/03/67; 08/03/67; 15/03/67 do Seminário A lógica do fantasma ( aborda acting out, passagem ao ato e gozo)

11- Lição dos dias: 07/02/68; 21/02/68; 28/02/68 do Seminário 15. ( aborda ótica universal, particular e gozo)

12- Capítulos VII; VIII; IX; XXI; XII; XXIII e XXIV do Seminário 16

13- Capítulos II; VI; VII; VIII e IX do Seminário 17

14- Capítulos I; II; IV; VI; VII; VIII e IX do Seminário 18

15- Lições dos dias 03/03/72; 04/05/72 e 01/06/72 do Seminário O Saber do Psicanalista ( ligação com texto Aturdito e Lógica da sexuação)

16- Capítulos IV; V; VI; VII; VIII; IX; X; XI; XII; XIII e XIV do Seminário 19

17- Seminário 20

18- Lições dos dias 18/12/73; 08/01/74; 15/01/74 e 19/02/74 do Seminário 21 ( aborda amor homem-mulher e retoma as fórmulas quânticas da sexuação.

19- Capítulos VI e IX do Seminário 23

 

Textos dos Escritos

1- Intervenção sobre a Transferencia

2- A significação do falo

3- Diretrizes para um congresso sobre a sexualidade feminina

4- Subversão do sujeito e dialética do desejo no inconsciente freudiano

5- Posição do Inconsciente

Textos Outros Escritos

1- Os Complexos Familiares

2- Homenagem a Marguerite Duras pelo arrebatamento de Lol V. Stern

3- O Aturdito

4- Prefácio à’O despertar da primavera’