Biblioteca

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

FOLIE À DEUX NA RELAÇÃO MÃE-FILHA: QUESTÕES DA CLÍNICA E POLÍTICA DO PSICANALISTA¹

Por Mauro Mendes Dias

Este artigo, decorrente do Seminário “Fundamentos da clínica do psicanalista, pelas
psicoses,” reaborda a história do caso das irmãs Papin e de Aimée, valendo-se de textos e pesquisas
não apenas de Lacan, portanto incluindo a influência da terceira irmã Papin. Reconhece-se que a
folie à deux se mantém como uma referência necessária para o entendimento da dinâmica da paranoia
se situada na relação mãe-filha, enquanto não apenas dual, e enquanto o terreno sob o qual a folie à
deux atinge o seu ápice.